Nós produzimos: mudas de flores

O cultivo de flores de geração em geração

1
374

Setembro é o mês de chegada da primavera: a mais florida das estações. E é justamente neste mês que vamos falar das flores, das que florescem das mudas cultivadas em nossa terra.

Na saída para Lagoa Vermelha, na BR 285, Km 127,5, está instalada a Lazzeri, uma empresa que já foi de capital aberto e hoje é familiar, que tem como seu core business a produção de flores jovens, comercializadas em mudas e em vasos.

A empresa é especialista em mudas, mas mantém um espaço que apresenta algumas plantas em vaso já floridas, como amostra. Foto: Giana Pontalti

MUDAS EM 10 HECTARES VACARIENSES

“Nós costumávamos colocar algumas mudas para tomar sol em frente à empresa, então chamávamos a atenção pelas flores em frente. Mas quando nos visitam, as pessoas estranham porque não veem tantas flores em nossas estufas. O que encontram são plantas-mães, veem o verde. Isto porque nós produzimos as mudas para os produtores de flores”, explica Carlo Lazzeri, gerente administrativo.

Carlo em meio a uma das muitas estufas que protegem as mudas. Foto: Giana Pontalti

Carlo é filho de Valentino, atual diretor da empresa, e neto de outro Carlo, um italiano que investiu na produção de flores em solo vacariense nos anos 1990. “Meu pai veio visitar o Brasil com o intuito de comprar terras para cultivar maçã. Ele é da cultura do campo. Empreendeu aqui em 1982 e, a partir de 1990, começou a produzir flores para abastecer o mercado italiano. Cultivar flores aqui é mais acessível por causa da mão de obra”, explica Valentino.

Negócio de família. Carlo, o filho, e Valentino, o pai, descendentes do italiano Carlo que iniciou o cultivo de mudas em Vacaria. Foto: Giana Pontalti

Muitas das mudas da Lazzeri são transportadas até São Paulo, de caminhão. De lá, partem de avião à Itália e Espanha. “Os europeus usam muitas plantas e flores para decorar as casas e ornamentar os jardins. Metade do que produzimos é exportado, a outra metade é destinada ao mercado interno, que cresce significativamente. Vendemos mais para os estados do Sul: Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná”, diz Carlo.

FLORES DE VASO X FLORES DE CORTE

O trabalho de desenvolvimento de mudas é todo artesanal. A empresa emprega atualmente 200 pessoas. Foto: Giana Pontalti

A muda mais conhecida produzida pela Lazzeri é a de poinsétia, também chamada de estrela-do-Natal. Mas a empresa cultiva uma vasta variedade de flores como a fuchsia (Brinco de princesa), a impatiens (conhecida como Não-me-toque e Maria sem-vergonha), a cyclamen, os gerânios, entre muitas outras.

Quem passeia pelos 10 hectares de estufas pode conferir também vasos de alecrim, sálvia, manjerona e batata-doce. “As plantas dos temperos são bonitas e têm sido bastante  utilizadas na decoração. A de batata-doce é aplicada em paisagismo”, explica Carlo.

A Lazzeri produz plantas de vaso, não de corte, como as comumente utilizadas nas floriculturas em buquês. São plantas para as casas e jardins, plantas para permanecer. “Acredito que um tipo de flor que vai crescer muito é a dipladênia, porque as pessoas buscam uma espécie que seja simples de cuidar em casa. Ela é fácil de produzir e de manter”, reforça.

GENÉTICA DAS FLORES

Além de comercializar as mudas, a Lazzeri busca desenvolver a genética de novas flores. Segundo Carlo, a empresa paga royalties a quem detém a patente das flores. Por isso, buscam desenvolver as próprias plantas também. Já são cinco delas, que ganharam nomes bem brasileiros: Carnaval, Samba, Copacabana, Ipanema e Aquarel.

Copacabana, uma das flores desenvolvidas pela própria empresa. Foto: Giana Pontalti

CURIOSIDADES

A cidade de Holambra, no interior de São Paulo, é famosa pela produção de flores em alta escala. O que muita gente não sabe é que muitas de suas mudas são de Vacaria.

A altitude de Vacaria – 971 metros em relação ao mar – é favorável à produção de mudas. Quanto mais alta a cidade, mais próxima ao sol, o que significa luz para as plantas. “O frio não é ruim para elas, mas é controlado. Em Vacaria, faz calor significativo no verão, mas à noite um clima ameno. Isso é bastante favorável às mudas”.

A Lazzeri emprega, atualmente, 200 pessoas. “Cultivar flores é um trabalho complexo e artesanal. Tem muita gente regando, plantando, colhendo”, afirma Carlo.

 

por Giana Pontalti | setembro de 2019

 

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here