Paulo Vasques fala sobre álcool, álcool gel, água e sabão no combate ao coronavírus

1
2573

Convidamos o farmacêutico e bioquímico, Paulo Miguel Vasques, nosso apoiador e proprietário da PharmaPura, para tirar algumas dúvidas sobre a eficácia do álcool gel e da água e sabão no combate ao coronavírus. Em época de pandemia, informação qualificada nunca é demais.

Os vacarienses estão fazendo fila na farmácia de Paulo que alerta: água e sabão é mais eficaz que álcool gel

 

Giana: As mãos são um dos principais meios de transmissão do coronavírus. Higienizá-las é fundamental. Em diversas entrevistas na TV, os profissionais de saúde aparecem indicando o uso do álcool gel. Por que ele é tão importante?

Paulo: Porque o álcool gel 70% tem função bactericida, ou seja, mata as bactérias e mata os vírus. É importante dizer que o álcool 70 graus faz isso, nem todo álcool faz. Isso tem a ver com  molaridade.

O álcool 96, por exemplo, é bacteriostático, o que dificulta a propagação do vírus, mas não o mata. Em uma linguagem simples, o álcool 96 dá um susto no vírus, mas não o mata.  O álcool 70% mata.

Na hora de comprar o álcool gel é preciso ver se, na embalagem, diz 70%, 70 GL ou 70 graus. Aí está mais próximo do ideal. Se não diz 70, se diz só álcool gel antisséptico, não é indicado, porque pode ser 40% e, aí, não vai matar o vírus.

O álcool gel é também muito indicado, pois permanece maior tempo na superfície do que o líquido e, para a pele, é menos agressivo.

O preço do álcool gel é mais caro do que o álcool líquido. Nem todo mundo pode pagar por ele. O álcool líquido pode substituir o álcool gel, na falta deste?

Pode, desde que seja o álcool 70%. Na limpeza da casa, não só pode como deve, porque o gel deixa resíduos.

O álcool líquido 70 é excelente para a limpeza de superfícies e objetos como bancadas, chaves, maçaneta da porta. Mas o álcool 70 é difícil de encontrar no mercado por causa das queimaduras. Então, o que o substitui bem é água e sabão.

Qual a concentração de álcool líquido ideal? Nos mercados encontramos álcool 46, 54, 79, 92.

O mais próximo do 70, sempre vai ser mais efetivo. O 70 é bactericida, mata o vírus. O 92 ou 96 é bacteriostático, dá um susto no vírus, mas não é indicado porque evapora rapidamente. Abaixo de 70 não é nenhuma coisa, nem outra.

Na limpeza da casa, se não tiver acesso ao álcool, pode-se usar desinfetante ou água sanitária, são excelentes também.

Com que frequência devemos aplicar o álcool gel nas mãos?

Sempre que não pudermos lavar as mãos. Lavar as mãos é melhor do que aplicar álcool gel. O problema não é tocarmos as coisas, mas tocarmos a nossa mão nos olhos, boca e nariz, portas de entrada do coronavírus.

O coronavírus se aloja nos objetos e superfícies que tocamos. Por isso, é importante higienizarmos os objetos como o celular, a maçaneta da porta, o botão do elevador, entre outros. Que álcool podemos usar na higienização da casa? E qual álcool podemos utilizar para a limpeza do celular?

Na limpeza da casa, devemos utilizar o álcool 70 ou água e sabão, desinfetantes, água sanitária.

O celular é um objeto de uso pessoal e devemos evitar colocá-lo em superfícies sujas. Se o celular é impermeável, dá para usar água e sabão. Álcool estraga o aparelho, não tem muito o que fazer.

Que outros objetos costumamos tocar e também “captam” o vírus? Cito aqui chaves, por exemplo.

Todos os objetos. Por isso, lavar as mãos é fundamental, mas é importante também estarmos atentos para não tocarmos no rosto.

Há uma teoria que afirma que o vírus tem uma sobrevida de 48 horas sobre a superfície, outras, dizem que ainda mais. Mas sem paranoia! Tem gente que vem comprar o álcool gel e não quer a bisnaga porque ao tocá-la para fechá-la, se contamina novamente. O ideal é aplicar o álcool, fechar a bisnaga e espalhá-lo nas mãos. Passei álcool gel, tô limpo. Lavei as mãos, tô limpo.

O coronavírus também se aloja em notas de dinheiro, cartão, moedas? E nas roupas?

Sim, por tudo. Por isso o isolamento é tão importante, para evitarmos a propagação.

O que é ideal fazermos ao chegar a casa?

Tirarmos o sapato, tirarmos tudo que trazemos da rua, lavarmos as mãos. Pegarmos as compras do supermercado e lavarmos, limparmos as superfícies. A gente põe na geladeira as compras e conserva o vírus por mais tempo lá.

Em uma pandemia, o pânico se instala. E se alguém decide utilizar o álcool vendido nos postos de combustíveis, em casa?

O álcool encontrado no posto de combustível é específico para abastecer os veículos. Ele contém metais pesados e não deve ser utilizado em casa, é perigoso.

Também não é indicado fazer álcool gel em casa, é a pior coisa. Por segurança e precisão. O álcool é volátil, se aquecido já perde grande parte de suas propriedades. Se não for possível comprar álcool gel 70, a dica é: usa água e sabão, recursos disponíveis a todos.

Vamos pensar que falte álcool no mercado. Água e sabão são suficientes?

São, muito. Para a limpeza, podemos usar água sanitária, quiboa, e desinfetantes que dizem eliminar 99% das bactérias. Nas mãos, água e sabão.

Se formos fazer uma escala de eficiência, para a limpeza das mãos, primeiramente indicamos água e sabão. Se estiver na rua, não tiver acesso a pia para lavar as mãos, álcool gel.  Para limpeza, álcool 70. Não tem álcool 70? Usa desinfetante ou água e sabão. Pode ser o sabão mais simples, o sabão tem gordura e “captura” e elimina o vírus.

por Giana Pontalti | 19 de março de 2020.

 

 

 

1 COMENTÁRIO

  1. Giana, adorei bem objetiva e esclarecedor, antes, andei lendo e vendo vídeos quee deixou vermos, fica no enrola, fala mas não diz o que queremos ouvir. Agradeco

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here