Selmari Etelvina Souza da Silva,
professora e vereadora

A importância da participação feminina na política
Especial Papo de Mulher

2
957

por Giana Pontalti

Aos 11 anos, Selmari saiu de São Pedro, Coxilha Grande, 6º distrito de Vacaria, para morar com outra família no centro da cidade. “Minha mãe motivou as cinco filhas a migrarem para que tivéssemos outras oportunidades na vida. Imagina você sair de casa ainda criança? Minha mãe estava com câncer, morrendo. Hoje eu entendo, mas na época chorei muito”. Maria do Carmo, mãe de Selmari, faleceu aos 44 anos, defendendo a emancipação de suas meninas*.

Selmari busca ocupar espaços que historicamente foram negados às mulheres. | Foto: Samara Pacheco, Esthudio F18.

Emancipar, segundo o dicionário Aurélio, é criar independência, libertar-se. É pela emancipação dos vacarienses que Selmari luta. “Tu ser gestor público e não criar políticas públicas que emancipem as pessoas é um absurdo. Ocupar um espaço e não ajudar as pessoas a se emanciparem, deixando-as dependentes é triste. É a velha política dos privilégios. Política tem que ser para a coletividade”, reforça.

Aos 51 anos, Selmari foi recém reeleita vereadora de Vacaria e sonha em ser prefeita. “Imagina uma mulher, professora, solteira, negra, ser vereadora. Há 20 anos, essa possibilidade não existia”, destaca.

Selmari faz parte de um grupo de cidadãos, historicamente excluídos, que buscam ingressar em funções públicas para garantir recursos para a coletividade. “O legislativo cria leis, o executivo executa recursos públicos. Se nós mulheres não ocuparmos o espaço da política não garantiremos recursos para efetivar as políticas públicas para as mulheres. As mulheres pedem trabalho, cursos de capacitação. Se isso não acontecer, estaremos sempre discutindo a violência doméstica por aqui. É através do trabalho que podem garantir sua independência financeira e fortalecer sua autoestima”, diz.

Selmari conquistou a sua autonomia com o trabalho. “Morei por anos com uma família em que ajudava a cuidar da casa e das crianças. Lá, incentivavam-me a continuar estudando. Passei em um concurso público e fui lecionar”, comenta.

Das 15 cadeiras do legislativo vacariense, apenas três são preenchidas por mulheres. Selmari é uma delas e, por isso, é nossa convidada para a conversa sobre A importância da mulher na política. Confira a entrevista e o Fala Guria logo abaixo.

ENTREVISTA 

FALA GURIA

Profissão: professora. Selmari é graduada em Pedagogia e Filosofia. Tem pós-graduação em gestão escolar.

O que queria ser quando era criança: fotógrafa.

Função pública: vereadora.

“Eu fico em sala de aula 20 horas e outras 20 deixo exclusivamente à vereança. Acho importante ter esse tempo para poder exercer bem o trabalho legislativo, não posso ser uma vereadora só de sessão, não foi pra isso que as pessoas confiaram o seu voto em mim”.

O ingresso na política: Selmari queria ajudar a mudar a realidade percebida em sala de aula.

“Eu gostava de assistir aos programas da Câmara federal na TV, a política sempre me chamou a atenção. Mas muito mais do que isso, quando você está em sala de aula nas periferias, vê situações de extremas vulnerabilidade. Sempre me indagava como eu podia fazer para ajudar, além de ser professora – como se ser professora fosse pouca coisa(rs)! Eu me incomodava e me incomodo com a situação das pessoas, principalmente das crianças e adolescentes. Muitas vezes, quem deveria ampará-los é quem os violenta”.

Política é lugar de mulher sim: “Eu percebia que a política era sempre ocupada por homens, detentores do poder econômico – fazendeiros, estancieiros, industriais, como mostra a história do Rio Grande do Sul. Precisamos romper com essa estrutura. É preciso que mais pessoas de diferentes grupos ocupem as esferas de poder e decisão. Hoje, felizmente, há muitos outros grupos ocupando os espaços políticos, a última eleição mostra isso”.

Mulheres que não votam em mulheres: “Nós temos ainda muita dificuldade de votar em mulher pela estrutura patriarcal. Imagina uma mulher ir lá discutir com um homem. Nós fomos educadas para ficar mais quietas, não ir para o enfrentamento.”

Racismo: “O racismo é algo ainda muito forte em nossa sociedade, mas é velado. Comigo ninguém diz nada porque sabe que vai levar um processo. Mas ele chega, pelo olhar.”

Para quem quer dar voz: “A educação é minha prioridade na política, a emancipação feminina também. Quero ainda trabalhar para garantir maior proteção da criança e do adolescente. Há muito abuso em Vacaria”.

Quais são as demandas das vacarienses?  “As mulheres pedem trabalho, cursos profissionalizantes e outras matrizes de trabalho porque maçã, alho e batatinha não dão mais”.

“Pedem também cultura, defendo muito novos espaços de cultura em nossa cidade. É com o acesso à cultura que ampliamos nossa visão de mundo e aprendemos a respeitar as diversidades”.

A trajetória familiar: “Cada uma das minhas irmãs foram saindo para morar com famílias, uma distante das outras. Fomos conviver só depois de muito tempo adultas. Meu pai era capataz e minha mãe lavadeira. Fizeram o melhor que puderam, foram pessoas muito éticas”. Selmari tem também três irmãos, dois já faleceram.

O que lhe deixa triste: A injustiça, a desigualdade.

O que lhe faz feliz: O mar, a natureza me recarrega.

Um livro: O povo brasileiro, de Darcy Ribeiro

*Selmari tem irmãos também.

Especial Papo de Mulher | março de 2021

 

2 COMENTÁRIOS

  1. Convivi com Selmari enquanto professora (curso de Pedagogia ) e incentivei a fazer Licenciatura em Filosofia por vislumbrar a sua natureza critica e autonoma frente ao.mundo. Convivi atraves de nosso trabalho a frente da SMED no Governo Eloi Poltronieri e testemunhei a luta pela Educacao em espscial a infantil e a alfabetizacao ( Parceria com a grande Esther Grossi). Mas acima de tudo a convivencia nas lutas sociais e no partido ( PT ) que tem um projeto de inclusao, de respeito a diversidade e politicas publicas fortes. Uma pessoa para admirar pela sus garra, fortaleza e solidariedade no olhar.#nosrepresenta

  2. Parabéns a todas as mulheres guerreiras, hoje representadas pela colega Selmari e pela Analu!!
    parabéns Giana pela ótima entrevista e pelo belo trabalho! 🙂

COMENTÁRIOS:

Please enter your comment!
Please enter your name here